SAÚDE DA GENGIVA

Anatomia da gengivite

COMPARTILHAR

A anatomia da gengivite.

Saber como a gengivite afeta a anatomia do dente pode ser útil para melhor compreender a forma em que o fio dental - e o bom cuidado bucal em geral - pode remover a placa, o que ajuda a parar a gengivite antes dela começar.

Observando uma imagem em corte de um dente sadio, percebemos que os componentes principais são as gengivas e as partes principais do dente, que são:

  • Raiz: a raiz é a parte inferior do dente que se estende dentro das gengivas e a mandíbula. A gengivite é uma fase inicial da periodontite (periodontal ou doença das gengivas). Em casos graves de doença das gengivas, as gengivas muito afetadas podem acarretar o afrouxamento das raízes e a queda do dente.

  • Polpa: a polpa é o centro nervoso do dente. A polpa não está infetada diretamente em casos de gengivite, mas a dor das gengivas pode irradiar para os nervos dos dentes. A doença periodontal ou das gengivas, no entanto, pode danar a polpa, se a “bolsa” se estende até o final da raiz, conhecida como ápice.

  • Coroa: a coroa é a parte superior do dente, a qual podemos ver e escovar. A coroa está recoberta de esmalte dentário, que ajuda a proteger os dentes por cima da linha das gengivas. No entanto, é justamente ao redor da linha da gengiva que a placa acumular. É por isso que o uso diário do fio dental é essencial para manter as gengivas sadias, já que limpa a placa bacteriana antes da sua acumulação. 

Uma imagem da gengivite monstra como a gengivas se retraem dos dentes e luzem inchadas e vermelhas. Além disso, observam-se duros depósitos brancos de tártaro ao longo da linha das gengivas. Somente um higienista dental ou dentista possui a habilidade de remover o tártaro, mas podemos evitar a sua acumulação usando regularmente o fio dental.